Projetos Inovadores

A Inovação na Gestão Pública do Estado de Minas Gerais consiste no desenvolvimento de iniciativas, alinhadas à estratégia governamental, que agregam valor público às atividades de órgãos, autarquias e fundações do Poder Executivo Estadual. Dessa forma, a Gestão de Projetos de Inovação no Setor Público utiliza a prática da inovação como alternativa para melhorar a prestação de serviços e reduzir o excesso de burocracia.

A Política de Inovação na Gestão Pública do Estado de Minas Gerais é coordenada pela Diretoria Central de Articulação e Apoio a Projetos Inovadores – DAAPI, da Superintendência Central de Inovação e Modernização Institucional – SCIM, que é vinculada à Subsecretaria de Gestão e Apoio às Políticas Estratégicas. Desde 2012, é realizado anualmente o Ciclo da Inovação na Gestão Pública, uma metodologia para identificação de ideias inovadoras com potencial para se tornarem projetos de governo que atendam de forma efetiva as demandas da sociedade. As ideias classificadas como estratégicas, críticas e inovadoras podem ser destinadas para desenvolvimento imediato ou para análise de sua viabilidade técnica e orçamentária por meio da Incubadora de Projetos da DAAPI.

A DAAPI tem como competência subsidiar a implantação de projetos e iniciativas de inovação na gestão pública, bem como articular e apoiar o desenvolvimento de políticas públicas estratégicas e inovadoras. Dentre as atribuições da Diretoria, destacam-se:

I – coordenar projetos de inovação nos órgãos, autarquias e fundações do Poder Executivo, e avaliar o impacto dessas iniciativas na qualidade dos serviços públicos e no atendimento das demandas e necessidades da sociedade;

II – captar, avaliar e implementar projetos e iniciativas de inovação nos processos organizacionais e nas políticas públicas estaduais, em articulação com os órgãos, entidades e unidades administrativas responsáveis, tendo em vista a geração de resultados aderentes aos objetivos governamentais;

III – formular, gerir e disseminar a política de inovação na gestão pública, visando agregar valor na prestação dos serviços públicos e compartilhar conhecimentos e informações entre órgãos e entidades públicos;

IV – incubar projetos de inovação visando reduzir os riscos técnicos e financeiros na implementação futura desses projetos.