Você está aqui:

Notícias

Comércio aproveita oportunidades geradas com Jimi

27/06/2017

Além do movimento turístico, tradicional competição esportiva estadual contribui para que as cidades-sede ganhem projeção no estado

 

A realização da etapa Microrregional dos Jogos do Interior de Minas (Jimi) trouxe efeitos positivos para os segmentos de comércio e serviços das cidades-sede - Cataguases, Frutal, Jequitinhonha, João Monlevade, Montes Claros, Pitangui, Ponte Nova e Pouso Alegre. A geração de renda extra e o desenvolvimento econômico por meio das competições, inclusive, são pontos sempre defendidos e reforçados pelo Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Esportes (Seesp), que organiza a disputa, junto a representantes dos municípios nas reuniões técnicas da competição.

Nesse contexto, o secretário de Estado de Esportes, Arnaldo Gontijo, avalia o efeito do Jimi na economia de Minas Gerais. “O deslocamento dos jogadores, árbitros, técnicos e cidadãos dos 200 municípios participantes da etapa Microrregional proporcionaram uma injeção de recursos, principalmente na rede turística. Comércios, restaurantes, hotéis e empresas de transporte, por exemplo, receberam mais clientes no período dos jogos do que em comparação a outras datas similares. O comerciante que não esteve atento ao potencial econômico do Jimi deve acompanhar os próximos cronogramas da competição”, aponta.

Cataguases recebeu 19 cidades dos territórios Mata e Vertentes para as disputas de basquete, futsal, handebol e voleibol. O movimento fez com que um dos hotéis cataguasenses, o Spíndola, recebesse 40% a mais de hóspedes do que o esperado para a época do ano.

“De 13 a 18 de junho, ficaram aqui árbitros e jogadores, o que levou o hotel a preencher todos os quartos. A realização do Jimi é excelente e ideal para os comerciantes da cidade”, analisa o proprietário, Horácio Spíndola. Para ele, o evento também levou benefícios para outros setores. “O comércio, os produtores da cidade, os restaurantes e as lojas atraíram clientes e puderam aproveitar o movimento turístico”, destaca.

Cláudia Fernandes, de Frutal, Triângulo Sul, não perde as oportunidades com os Jogos Escolares de Minas Gerais (Jemg), também organizados pela Seesp, e não foi diferente com o Jimi. Proprietária do Restaurante Tia Jô, sempre prepara as refeições para os alunos-atletas do Jemg, e para o Jimi, abriu seu negócio durante o recesso de Corpus Christi para receber os jogadores.

“Geralmente, não abrimos aos feriados e domingos. Mas, com essa demanda, tivemos um bom retorno, com mais clientes durante nosso almoço e jantar.”, conta.

 

Visibilidade dentro e fora das quadras

Especialista em marketing, o secretário de Estado Adjunto de Esportes, Ricardo Sapi, reitera que o efeito do Jimi não é um fato isolado. Ele relatou que, desde 2015, a secretaria já tem o olhar atendo para a capacidade de geração de receita, nos municípios, por meio dos eventos esportivos. 

“Além das competições organizadas pela própria Seesp, como o Jimi e o Jemg, primamos por apoiar grandes eventos capazes de trazer times, imprensa e os acompanhantes dos atletas de outros estados para Minas Gerais. Em 2016, por exemplo, apoiamos os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs) e o XX Mundial Júnior de Handebol Masculino que, juntos, movimentaram R$ 13,5 milhões em Uberaba e Uberlândia”, relembra.

Em 2017, Montes Claros já foi sede das primeiras etapas do Jimi e do Jemg, e voltará a receber a etapa Regional de ambas as competições. Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da cidade, Edilson Torquato, a oportunidade de sediar os eventos esportivos ultrapassa a geração de receita imediata.

“Além dos impactos nas atividades econômicas, que vão desde o transporte público até aos bares e restaurantes, os jogos dão visibilidade e mídia espontânea para Montes Claros. A cobertura da imprensa nos rádios, na televisão e na internet projeta o município para todo o estado e mostra sua potencialidade”, destaca.

Para a próxima etapa do Jemg – de 10 a 15 de julho – e do Jimi – de 6 a 10 de setembro –, as expectativas são grandes em Montes Claros.

“Com o sucesso já alcançado nas outras fases, esperamos ter mais apoio na organização, contando com a sociedade, os jogadores e a torcida. Com isso, vamos agregar mais ao esporte na cidade”, pontua.

Notícias relacionadas

Fernando Pimentel recebe prefeitos de cidades históricas mineiras

Presidida pelo prefeito de Conceição do Mato Dentro, José Fernando Aparecido de Oliveira, a Associação congrega os prefeitos de cidades que têm tombamento federal ou estadual. O objetivo é preservar o patrimônio cultural e histórico e desenvolver as potencialidades turísticas dessas localidades.

Produção de mel é alternativa de renda no interior de Minas Gerais

Hoje, o Brasil produz uma média de 37 mil toneladas de mel por ano, sendo que mais da metade deste volume é exportado, rendendo ao país cerca de US$ 80 milhões. Deste total, Minas Gerais produz cerca de cinco mil toneladas, sendo o quarto maior estado produtor, segundo dados de 2015 do IBGE.

Cidade de Ourém é porta para Minas Gerais em Portugal e na Europa

O encontro na Universidade do Minho vai acarretar na assinatura do termo de adesão para integrar o projeto Minas em Diálogo, uma realização do Núcleo Multifacetário do Estado de Minas, parceria entre a Secretaria de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais (Seccri) e UFMG, em Minas Gerais.